quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

PAIXÃO PROIBIDA








Paixão Proibida


Oriza Martins




Quantos secretos desejos

Cruzam-se por nosso olhar...

É uma paixão incontida,

Clandestina, proibida,

Difícil de disfarçar...

O encontro de nossas vidas

Tardou a acontecer...

Resultou em sentimentos

Mergulhados em lamentos,

Razão do meu padecer.

Eu sinto que tu me amas,

Sabes o bem que te quero...

Mas o ingrato destino

Transformou em desatino

Este amor forte, sincero...

Motivos mil nos separam,

Sufocam quaisquer anseios...

Em nossos mundos distintos

Sublimamos os instintos,

Nos amando em devaneios...

São beijos emocionantes,

Trocados em pensamento,

Horas de magia pura,

Carícias cuja ternura

Nos elevam ao firmamento.

Mas, sendo um dom dos amantes,

Manter firme a esperança,

Que o tempo vai conseguir

Nossas vidas reunir,

Tenhamos fé e confiança...

Haveremos de provar

As delícias deste fruto,

Por enquanto, proibido.

Nosso amor será total,

E a existência, afinal,

Para nós, fará sentido.


BOTÕES DE ROSAS




Colham botões de rosas enquanto podem,
O velho Tempo continua voando:
E essa mesma flor que hoje lhes sorri,
Amanhã estará expirando.

O glorioso sol, lume do céu,
Quanto mais alto eleva-se a brilhar,
Mais cedo encerrará sua jornada,
E mais perto estará de se apagar.

Melhor idade não há que a primeira,
Quando a juventude e o sangue pulsam quentes;
Mas quando passa, piores são os tempos
Que se sucedem e se arrastam inclementes.

Por isso, sem recato, usem o tempo,
E enquanto podem, vivam a festejar,
Pois depois de haver perdido os áureos anos,
Terão o tempo inteiro para repousar.

Recebido p/Dr.Wolf K.Goldenstein