domingo, 1 de fevereiro de 2015

QUANDO SE AMA





Quando se ama de verdade,
A felicidade chega e simples
Arranja um jeito meigo
De se alojar em nosso
Coração para poder fazer
Nossos olhos brilharem de emoção.
Mas quando se tem um
Amor lindo e verdadeiro,
Ele nunca irá invadir
A nossa vida ele simplesmente
Irá fazer um lugar em
Nosso coração para morar.
E como o peixe é fisgado
Assim o meu coração
Foi fisgado por você.
Agora eu fico a imaginar
Este teu olhar a me observar,
Seguindo-me a cada passo
Que dou nesta vida a procura
De um algo em mim
Que se encontra dentro
Do meu coração a tua espera.
E agora aqui neste instante
Quando me encontro sozinho
Fico a imaginar o reflexo do tempo
Junto a este vento suave
Que me trouxe o perfume
Da saudade que eu sinto por você.
E fico sempre imaginando
Se o tempo voltasse atrás
Queria ter você novamente
Nos meus braços meu amor.


Comendador Marcus Rios
Poeta Iunense – Acadêmico –
Membro Efetivo da Academia Iunense de Letras (AIL)




Sou filha do vento

L.P14


Sou filha do vento
Eu sou o ar
Não me prenda
Meu destino é ser livre e voar

Sou filha das estrelas
Amante da Lua
Protegida do sol

Sou areia da praia
Não tente contar meus grãos
Não obterás a quantidade
Não encontrarás explicação

Sou arco-iris
Vivo e intenso
Mas…
Não conseguirá me tocar no céu imenso

Sou melodia
Do vento que assobia
Seja de noite, seja de dia

Sou andarilha
Sou Anjo alado
Sinta!
Estou ao seu lado

Sou água de rio
Não tentes me represar
Pois meu destino
É ao mar me juntar

Kira, Penha Gonçales.

l.d.p.03