segunda-feira, 19 de março de 2012

FRAGMENTADA


Fragmentada
Sou toda de sentimentos, retalhada.
De uma sensibilidade doída! Doida.
Assimetria reunida em totalidade.
Parcela de identidade num cosmo de vida!

Sou o desequilíbrio andante.
Uma plenitude desigual!
Sou equiparável lua em céu escuro...
De definidas fases... de magia irregular!

Sou matriz e filial.
Um tudo-nada que nada é!
Sou partícula de uma perfeita imperfeição.
Um alguém à procura de si!

Sou uma dose de amor
que se oferece ao tempo presente.
Sou um punhado de complexidade incoerente!

Sou porção de nada
que se transforma em tudo
para o Divino Rei da Criação!

DESCONHEÇO AUTORIA

MULHER


MULHER

Quando criança!
Vem a esperança
E ela nunca se cansa
De no amanhã acreditar.

Quando adolescente!
Do amanhã, faz o presente.
E quase sempre se sente pronta pra despertar.

Quando adulta!
Depois de muita luta
Acredita num futuro
Quase sempre mais seguro.
Mas sentindo como é duro,
ver o outro dia chegar,
Vai caminhando...
Seguindo em frente...
Seus problemas enfrentar.

Quando Idosa!
Cheia de experiência.
E com muita paciência,
Pode a todos ensinar
Que a essência da vida,
é pela vida passar.

Samara C. A. Santos

QUEM ÉS TU???



Quem és tú que trazes o cabelo solto?
Os olhos confiantes e sonhador?
O rosto em grande beleza envolto,
És a materialização do amor?

És alfa, és omega, és o infinito?
És a alma, enfim és o próprio céu?
És a encarnação do amor um mito?

Quem és enfim com teus olhos de mel?
Sonho, realidade ou fantasia?
Com todos os sonhos de eternidade,
És enfim a própria felicidade?

És uma musa e deusa da poesia?
Não poeta, toques-me se puder,
E verás que sou sómente mulher.

CARLOS WALTER